Caderno de Receitas

da Cynthia Semíramis

Sopa de feijão branco com alho e salsa

Quando li a receita da sopa de feijão branco da Marcella Hazan, tinha certeza que não era pra mim: não gosto de alho, não gosto de salsa e não gosto de feijão. Num daqueles dias de tédio, que eu precisava comer alguma coisa diferente, arrisquei fazer essa receita e adorei o resultado.

A receita original é pra 4 a 6 pessoas. Eu sigo as instruções do endocrinologista e faço porção individual usando 80g de feijão branco cozido. Pode parecer pouco, mas é um bom jantar, e ainda permite um chocolatinho ou uma fruta de sobremesa.

Nem sempre tenho caldo, então substituo por água quente sem dó. Às vezes faço uma graça e refogo gengibre (que eu também não gosto) junto com o alho. A salsa (que eu detesto) é fundamental: quanto mais, melhor.

Depois dessa sopa, aprendi a lição: você não gosta de determinados ingredientes porque ainda não os experimentou na combinação certa.

Sopa de feijão branco com alho e salsa

1/2 xícara de azeite de oliva extra virgem
1 colher (chá) de alho picado
2 xícaras de feijão branco cozido e escorrido
1 xícara de caldo de carne
2 colheres (sopa) de salsa picada
sal e pimenta-do-reino a gosto

Aquecer o azeite.
Saltear o alho no azeite até ficar ligeiramente dourado.
Adicionar o feijão, sal e pimenta. Tampar a panela e cozinhar por 5 minutos.
Amassar parte do feijão, transformando-o em purê, pra sopa ficar cremosa.
Cozinhar por mais 5 minutos.
Corrigir os temperos.
Adicionar a salsa e servir.

Anúncios
3 comentários »

Mais uma sopa

Acabo de perceber uma coisa: meu horário de jantar está ligado ao anoitecer. Quando anoitece cedo (temporada outono-inverno), o jantar é por volta das 18h. Quando anoitece tarde, não tenho a menor fome até umas 19, 20h.

Percebi isso quando bateu a fome, por volta das 17:30. Olhei pela janela e lá fora estava escurecendo. Achei melhor atender a natureza, fiz um intervalo no trabalho e fui pra cozinha fazer outra sopinha rapidinha, melhorando o que havia sido feito ontem.

Refoguei na manteiga a outra metade da cebola, ralada, acrescentei pedacinhos de copa, espinafre congelado, um bocado de farfallini e pouco mais de meio copo de água. Deixei no fogo fraco por 10 minutos. Faltando 3 minutos pra finalizar, acrescentei um ovo (eu amo ovos cozidos na sopa, e meu colesterol baixíssimo me permite essas extravagâncias). Temperei com pimenta e azeite, e uma colher de creme de leite. E agora, bem alimentada, volto pro trabalho, feliz 🙂

Deixe um comentário »

Retornando à cozinha

Este ano, demorou pra esfriar em Belo Horizonte, então nem me preocupei muito com as precauções que sempre tenho de tomar na temporada outono-inverno para não sentir frio e ter uma crise de asma. Semana passada fez um friozinho, mas eu estava lerda demais, com muitos problemas pra resolver, e acabei usando a bombinha ao invés de me prevenir. Hoje, arrasada com o céu escuro às 17:30, já enrolada em roupas quentes e meias, senti muuuuita falta de uma comida decente, e tive nojo dos salgadinhos congelados que me mantiveram viva nos últimos dois meses.

Mesmo assim, não queria fazer nada muito complicado, e já via a hora em que enrolaria um macarrãozinho básico com creme de leite e limão. Só que não era bem o que eu queria, não ia me aquecer. Aí fui ver os blogs de comida, tentando encontrar inspiração. A Ana Elisa falando do molho de catalogna e queijo dos strozzapretti, e sugerindo trocar a catalogna por espinafre, me fez lembrar que no freezer tem um pacote de espinafre congelado (como pude esquecer?!) E a Tatu, falando de sopas e saladas quentes, me fez enlouquecer de vontade de devorar uma sopinha básica (eu AMO sopa!) Levando em consideração que eu tinha de dar um fim em um restinho de cappelletti de carne, consegui misturar tudo e fazer uma sopinha de espinafre e cappelletti bem rápida, básica e quentinha, do jeito que eu precisava.

A receita é no estilo da minha avó, sem medidas precisas: ralei meia cebola e refoguei na manteiga. Acrescentei uns pedaços de espinafre congelado, o cappelletti e um pouco de água. Deixei cozinhar em fogo brando por 8 minutos. No quarto minuto, acrescentei um ovo caipira, e mais um pouco de água. Temperei com pimenta, um tiquinho de sal grosso, e muito azeite.

E agora, completamente aquecida, vai ser difícil me tirarem da cozinha de novo 😉

Deixe um comentário »