Caderno de Receitas

da Cynthia Semíramis

Lembranças de viagens

Muito cansaço. Trabalhando muito, com emprego novo e inesperado, ainda tive de conciliar uma viagem a trabalho emendada com um recesso de semana santa. As viagens (três cidades diferentes e uma ilha) foram tudo o que eu precisava pra desligar um pouco e descansar. Voltei no domingo, mas o cérebro ainda está looonge… e, pelos novos horários, minhas chances de entrar na cozinha estão diminuindo.

Como o assunto aqui é comida, devo dizer que esta viagem pode levar o título de “a melhor experiência gastronômica que já tive”. Não que isso seja um grande feito, já que não viajo muito, nem viajo para comer, e me dou por satisfeita se todo dia fizer três refeições razoáveis para forrar o estômago. Quando acontece de comer algo muito marcante, entra para a história. Fiz uma listinha de comidas que marcaram minhas viagens, e ela é minúscula: uma pizza de calabresa maravilhosa em Porto Seguro, uma massa ao pesto de castanha de caju em Arraial d’Ajuda (muito mais pela curiosidade do molho do que pelo gosto em si), o excesso de doces no café da manhã, as tortas e os sorvetes de Buenos Aires, os queijos e pães de queijo horrorosos que comi fora de Minas (bem feito, quem mandou querer matar saudades da terra?), o suco de amora sem açúcar do Wing de Curitiba.

Agora, acrescento a essa seleção uma pizza fogaça gorgonzola. Fabulosa. Ainda salivo quando lembro dela. O mais engraçado é que eu não gosto de cebola, raramente cozinho usando cebola, não como cebola crua nem se for a única coisa que tiver no prato, e só como (comia) cebola cozida se estiver bem misturadinha no recheio. Mas a pizza de cebola com gorgonzola mereceu ser repetida, e creio que vou testá-la aqui em casa brevemente. Pelo que entendi, é composta por molho de tomate, uma camadinha de mussarela e gorgonzola, muitas cebolas fatiadas refogadas, mais um bocadinho de queijos, orégano e azeite pra finalizar. Uma ótima alternativa para os vegetarianos cansados das pizzas quatro queijos, margherita e afins. E vou parar de falar nessa pizza, que nem o marido agüenta mais ouvir os elogios a ela. Já ele preferiu a pizza de catuperu (peito de peru defumado com muito catupiry de verdade. Era até boa, mas nem chega aos pés da fogaça de gorgonzola…)

Também comi tortas maravilhosas na Chuvisco. E o melhor: eu decidia o tamanho da minha fatia, já que as tortas são vendidas por peso (aqui em BH as tortas são vendidas por fatia, são enormes e enjoativas). Filé com batatas sauté delicioso. Finalmente experimentei caipirinha, e na beira da praia (viciei!) Petit gâteau da Gelateria Parmalat.

No fim das contas, descansei e tomei uma decisão: as próximas viagens (provavelmente lá pelo ano que vem) terão mais eventos gastronômicos. Melhor que trazer badulaques como lembranças (e depois não ter onde guardar) é lembrar de comidas maravilhosas.

Anúncios
Deixe um comentário »